abril 24 2016 0Comment

Benefícios da Dança do Ventre

Eu sempre fui apaixonada pela Dança do Ventre, tanto por seus movimentos quanto pelas roupas, pois toda mulher que a pratica fica poderosa. Adiei muito a decisão de começar a fazer aulas por conta do meu trabalho, mas em agosto de 2015 finalmente iniciei, e claro, me apaixonei. Então convidei a bailarina e minha professora de Dança do Ventre Sandra Alves, para contar um pouquinho mais dessa dança tão maravilhosa.

História da Dança do Ventre

dança do ventre 2Originalmente chamada de “Raqs El Sharq”, que significa dança Oriental, a dança do ventre ou Belly Dance como é conhecida nos dias atuais, ganhou este nome em 1983. Neste ano, a bailarina Little Egypt fez uma apresentação de Raqs El Sharq em Chicago, nos Estados Unidos e impressionados com os movimentos sinuosos e por utilizar muito a região do quadril, eles resolveram nomear aquela arte vinda de países como o Egito, de Belly Dance.

É difícil precisar em que momento exato da história do mundo a dança do ventre surgiu. Esta é uma dúvida que jamais será solucionada e por este motivo continuaremos trabalhando com hipóteses sobre como esta arte se originou e passou por tantos momentos da historia mundial, em especial a dança, até chegar ao que assistimos hoje.

Usando como berço o seu país de origem, o Egito, é possível dizer que a dança possa ter começado no período faraônico. Vale lembrar que existem civilizações ainda mais antigas do que essa e que possam ter influenciado no surgimento da dança do ventre, como por exemplo, a dança indiana e a dança turca.

Nossa história se inicia nos Templos Faraônicos onde os rituais aos deuses (politeísmo) eram realizados dentro dos templos, por mulheres que executavam uma dança. Existem registros sobre isto nos papiros encontrados na região e neles podemos ver os desenhos de mulheres em posições que representam algum tipo de dança.

Por não existir nenhum registro visual desta época, fica difícil imaginar como realmente essa dança era executada, qual era a técnica usada e o que era necessário para se tornar uma bailarina dos templos.

Saindo do período Faraônico, entramos no período dos povos ciganos que vinham de todas as partes do Oriente. Este povo humilde, que são chamados no Egito de Gawazi,também deram sua contribuição na arte egípcia.

Podemos dizer que foram estas ciganas que praticamente iniciaram a dança do ventre, pois, assistindo a uma apresentação de dança gawazi percebemos que muitos dos movimentos básicos ou principais da dança do ventre surgiram destas bailarinas. Claro que uma Gawazi ao dançar não tem uma preocupação coreográfica ou um vasto repertório de passos. Além de não contar com muito trabalho de braços e pés na meia ponta, caracterizando assim uma dança mais primitiva.

Esta dança ainda pode ser vista até hoje nos territórios mais afastados do Cairo ( capital do Egito) ou também em festivais de danças que contam com a participação de bailarinas gawazis que se apresentam profissionalmente na capital.

A partir daí, começaram a surgir as danças folclóricas que vinham de varias regiões do país. Muitas delas fazem parte até hoje do repertório de show de uma bailarina. Entre as mais conhecidas podemos citar a dança do bastão, também conhecida pelo nome de Tahbit.

A dança fazia e ainda faz parte do cotidiano das pessoas que dançam dentro de suas casas em festas familiares.

A história da dança do ventre como entretenimento começou no início do século XX, mais precisamente em 1926, quando uma bailarina libanesa chamada Badia Massabni mudou-se para o Cairo e montou o primeiro cabaré de shows , um local voltado para a população que contava com maior poder aquisitivo. Badia tinha em seu casting bailarinas como Samia Gamal e Tahia Karioka. Podemos dizer que estas bailarinas foram as pioneiras de dança do ventre como forma de show estilizado em um determinado ambiente, além de contarem com uma dança sofisticada, com técnicas mais elaboradas e coreografias diversificadas servindo de fonte de estudo até os dias atuais.

Quem pode praticar

Qualquer pessoa pode praticar a dança do ventre, independente de sua idade. A única restrição são para as alunas que possuem algum problema crônico, neste caso o ideal é avisar a profissional com quem vai fazer aula, pois esta dança trabalha com todo o corpo.

Para fazer a aula de dança do ventre, basta ter vontade e curiosidade em aprender. É muito comum encontrar pessoas que procuram esta arte como uma forma de terapia, outras por curiosidades, existem aquelas que procuram com visão mais profissional e com interesse em se tornar uma grande bailarina e outras que procuram apenas por Hobby. Basta querer aprender!

 Benefícios da dança 

Como em outras modalidades a dança do Ventre, pode trazer a quem pratica grandes melhorias que podem ser físicas e psicológicas.dança do ventre 1

A cada uma hora de aula é possível dizer que a aluna chega perder cerca de 400 Kcal. Também podemos citar outros benefícios, entre eles, a tonificação e enrijecimento da musculatura do abdômen, pernas, braços, costas e glúteos; o aumento da circulação sanguínea; a melhora do condicionamento físico, isto acontece porque a dança trabalha com as articulações; o aumento da flexibilidade, resistência física e o auxilio no desenvolvimento da coordenação motora e melhora do eixo de equilíbrio.

A dança do ventre ajuda a desenvolver a agilidade mental, a concentração (atenção tanto na música quanto em seus movimentos) e também ajuda a estimular a criatividade.

 Um ponto importante de ressaltar é que além de tudo que já foi citado no texto acima, a dança do ventre ainda propicia um beneficio que muito nos ajuda no nosso dia a dia, aliviar o stress permitindo um melhor contato e percepção do seu próprio corpo.

Gostou?! Compartilhe com os amigos

Caso tenham alguma dúvida não hesitem em deixar um comentário

 

Até o próximo post =)

Write a Reply or Comment